Pesquisando Redes Sociais

14 Apr

Antes que falem alguma coisa:
– Não, eu não estou tentando ser xerox da minha irmã (e nem quero isso…não tenho culpa de gostar de coisas semelhantes). A questão é que tenho um seminário em uma das disciplinas do PPGCOM que terei que falar das redes sociais. Então, aí vão algumas questõezinhas que foram surgindo no decorrer dos meus estudos (eu tenho uma certa opinião sobre isso, mas fica sem graça ficar expondo de saída):

– O tempo gasto online (não necessariamente com “despesas improdutivas”) pode prejudicar a qualidade do tempo com relações sociais offline? Ou seja, pode se dizer que as pessoas que ficam horas na Internet prejudicam ou perdem tempo de estabelecer relações sociais com pessoas na vida fora do universo virtual? Se sim, isso poderia ser considerado prejudicial para a sociedade atual? Se não, pq?

As pessoas estão (cada vez mais) buscando o universo online para estabelecer relações sociais. No entanto, observa-se que, com a fortificação dos laços e o passar do tempo, existe uma certa tendência para que acabem buscando o mundo offline para continuar estas relações. Pq???

É possível que existam relacionamentos online com laços extremamenes fortes e que permaneçam neste ambiente (apenas) sem migrar para o mundo offline??

-A questão relacionada com a reputação nas redes sociais tem ligação direta com a quantidade de nós conectados a cada sujeito?

-A Internet é um meio de comunicações que possibilita o estabelecimento de relações sociais (certo?). Pq alguns autores acreditam que ela possa corroer o tecido da vida em comunidade se ela própria forma comunidades?

Buenas, ficam as questões…Outra hora posto o que acho sobre isso (tenho que terminar um artigo). @.@ 🙂

Tags: ,

7 Responses to “Pesquisando Redes Sociais”

  1. Marta Gentilini 16/04/2008 at 19:34 #

    ameiiii nossa janta ontem!
    que fique sempre a certeza da conquista! Conquista de amigos de verdade!!! 🙂

    Sei da distância e vou respeitar isso sempre, quando falo é para brincar! viu?

    Mas o que não podemos é deixar que ela nos faça esquecer o que vivemos!!!

    Beijos!!!
    Boa Aula!!!

  2. Marta Gentilini 16/04/2008 at 19:34 #

    ameiiii nossa janta ontem!
    que fique sempre a certeza da conquista! Conquista de amigos de verdade!!! 🙂

    Sei da distância e vou respeitar isso sempre, quando falo é para brincar! viu?

    Mas o que não podemos é deixar que ela nos faça esquecer o que vivemos!!!

    Beijos!!!
    Boa Aula!!!

  3. Carlo 29/04/2008 at 22:20 #

    http://br.tecnologia.yahoo.com/article/18042008/5/noticias-tecnologia-internautas-retomam-controle-vidas-criam-dia-offline.html

    Quem sabe não criamos o dia offline pra rebs?? um dia em que ela vai sair pra tomar cerveja, falar bestera e comer porcaria??

    bjo CHATONA!

  4. Carlo 29/04/2008 at 22:30 #

    O link formatado para caber no blog

    http://tinyurl.com/3vkduv

    😀

  5. Meira da Rocha 07/05/2008 at 07:14 #

    Mas qual a diferença entre online e offline? (não digo nem “virtual”, que é coisa que não existe…)

    Talvez esta seja a primeira coisa a definir.

    Abs

  6. Rebs 09/05/2008 at 15:57 #

    é verdade, meira!!! esta questão é outra que merece uma boa (e talvez infindável) discussão. 🙂

  7. heliopaz 16/05/2008 at 01:46 #

    Oi, Rebeca!

    São muitas perguntas. Não pretendo responder a todas, muito menos garantir que eu esteja “certo”. Ao mesmo tempo, também posso responder com outras perguntas, pois uma dúvida leva a outras… 😉

    Isso tem na web. Não sei se é algum artigo científico ou matéria de revista com algum psicólogo, mas já é beeem antiga… 😉

    …Enfim: de maneira geral, as pessoas mais sociáveis online também costumam ou tendem a ser as pessoas mais sociáveis offline. Embora haja pessoas viciadas em internet, na verdade eu, Hélio, acho que essas pessoas viciadas já deveriam ser viciadas ou compulsivas antes e apenas trocaram uma compulsão por outra.

    Outra: as pessoas têm n razões para procurar amigos na internet e, depois, encontrá-los presencialmente. Pode ser por timidez, por estar sozinho em uma cidade estranha ou, simplesmente, porque é cômodo (não precisa sair de casa, gastar dinheiro, etc.)

    Acho que, apesar de a internet ser um meio que possibilita o estabelecimento de relações sociais, ao mesmo tempo, é possível que uma suposta falta de contato presencial ou, melhor, de ENVOLVIMENTO com as pessoas da sua comunidade mais próxima (família, bairro, escola, trabalho, etc.) possa diminuir reivindicações e tomadas de decisões coletivas caso as pessoas menos presentes offline sejam também as mais atuantes de um ponto-de-vista ativista (não necessariamente político-partidário, mas na busca de suprir demandas caras à sua comunidade).

    Sobre a questão relacionada com a reputação e a ligação com a quantidade de nós conectados a cada sujeito: acho que a Raquel deve ser a pessoa mais indicada pra te responder! 😉

    Mesmo assim, ACHO que, pelo menos no caso dos blogs, eu posso ter um monte de links no meu blog e visitar apenas 10% deles ou menos diariamente, assim como um montão de gente possui o meu link em seus respectivos blogrolls e raramente vêm até mim.

    Então, CREIO que haja uma série de fatores além do quantitativo de nós, que determinam o que seriam laços fortes e laços fracos – aí, sim, determinantes da reputação. 🙂

    []’s,
    Hélio

Leave a Reply

Powered by WP Hashcash