Archive | December, 2010

Bens virtuais dos Social Games e a Identidade

29 Dec

Estou escrevendo um artigo bem simples sobre bens virtuais e as identidades nos Social Games (SG). O meu objetivo é compreender como os bens que os atores sociais adquirem nos SG podem manifestar (ou indicar) partes de sua identidade. Pensando nisso, visualizei quatro tipos de bens virtuais que poderão estar diretamente atrelados à multiplicidade identitária dos atores na rede. Penso que isso possa gerar alguma discussão que possa me ajudar na construção do artigo.

Então, para o post de hoje, compartilho minhas ideias de bens virtuais (ainda em construção) relacionados com a identidade nos SG.

•Bens de diferenciação social: Ligados diretamente à identidade do ator na sua rede social.

Nesta categoria incluímos itens voltados para a ORIGINALIDADE e para a PERSONALIZAÇÃO do sujeito no SG. Significa que um bem de diferenciação social é aquele bem que o ator social adquire para se diferenciar, para se caracterizar diante do seu grupo. Como exemplo, temos as roupas e utensílios dos avatares.

•Bens de reputação social: Ligados diretamente aos desejos do GRUPO.

São bens virtuais que são valorizados pelo grupo. Normalmente são itens que grande parte dos jogadores querem possuir devido à grande importância que adquirem perante a sua rede social. Este tipo de bem virtual tem ligação direta com a dinâmica de reputação (e em alguns casos, de inclusão em grupos), pois com determinados bens (normalmente os que possuem maior custo e de maior escassez) haverá a promoção de certo status frente à rede social do ator no SG em questão. Assim, o bem virtual de reputação social está ligado a valores do grupo.

Obviamente, ele também pode ser um bem de diferenciação. Porém a sua aquisição normalmente está atrelada à reputação frente ao seu grupo social. Como exemplo, cito itens especiais dos SG (alguns ainda pode ser de “edições limitadas”).

•Bens de satisfação pessoal: Ligados diretamente aos desejos do SUJEITO.

Este tipo de bem virtual foca vontades particulares, coisas que um determinado ator gostaria de ter e, assim, converge suas forças para adquirir tal bem. Ele não é  buscado pelos atores com a intenção especial de adquirir reputação diante do grupo ou para diferenciá-lo de outros atores. É apenas algo que o jogador do SG gostaria de ter. Nesse caso podemos pensar (por exemplo), em bens concretos que não são de alcance econômico ao sujeito, mas que, ao serem representados no universo virtual, podem adquirir valores simbólicos importantes e particulares para o sujeito.

•Bens funcionais – Ligados à função que o objeto possui dentro do jogo.

Normalmente este tipo de bem virtual tem uma valoração momentânea, ou seja, ele tem valor enquanto é utilizado para executar determinada função no SG. Os bens funcionais estão atrelados à evolução do sujeito no jogo, ou seja, para passar de determinada fase, para superar determinadas barreiras, eu necessito adquirir um bem funcional virtual.

Como por exemplo, uma fazenda do Frontierville possuir 40 vacas. 😛 Isto não indica necessariamente que o sujeito é amante de vacas, mas sim que, talvez, ele necessite vender 40 vacas adultas para cumprir determinada missão (ou tarefa). O mesmo vale para itens de “proteção” de propriedades.

Apesar da minha proposta para estas classificações de bens virtuais nos SG, é importante enfatizar que elas não são estanques, ou seja, é muito difícil estabelecer um limite de onde inicia um tipo de bem e onde começa outro (de acordo com a intenção com que eles são adquiridos pelos jogadores), o que significa que, além destes valores dependerem diretamente do sujeito (o que fornece pistas identitárias para mim),  os quatro tipos de bens virtuais dos SG estão “misturados”. 🙂

No entanto, para fins didáticos, penso que elas me ajudarão bastante para compreender como os bens virtuais podem configurar identidades no universo virtual. 🙂

Palestra sobre as dinâmicas dos Social Games

6 Dec

Novamente estive em Caxias do Sul, mas desta vez foi na UCS. Apresentei uma palestra intitulada “Social Games e suas dinâmicas no âmbito da Cibercultura” para os alunos do curso de Tecnologias Digitais.

Foquei os processos comunicacionais, práticas sociais, valores sociais, identidades e algumas dinâmicas de competição e cooperação. Foi muito legal. A turma super interessada, boas perguntas e uma noite longa e produtiva discutindo as dinâmicas destes jogos sociais. 🙂 Voltei bem satisfeita e com um monte de ideias para a tese e novas pesquisas.

Deixo para quem quiser ver uma parte da palestra em slides (algumas partes tive que retirar pois são resultados de algumas pesquisas que estou desenvolvendo e que ainda não publiquei. Porém, em breve prometo colocar disponível na íntegra aqui no blog).